Tags

, , , ,

Esse post é como uma daquelas correntes que você deve repassar alertando sobre algum perigo. Não, aliás, não. Ele não será tão chato quanto essa mania de enviar mensagens supersticiosas, mas é provável que algo especial aconteça se você o levar a sério.

O texto vem lhe trazer um esclarecimento sobre o Amor de Facebook, uma síndrome que começou há alguns anos e vem se espalhando rapidamente. É assim: todo comportamento do mundo off line passa a ser controlado por um universo paralelo da timeline do indivíduo. Tudo que o doente passa a fazer, será construído com base em regras facebookianas. Se o doente namora, ele atualiza o status online para um relacionamento sério. Se termina, atualiza também. Fotos serão feitas incansavelmente até que encaixem numa estética satisfatória. Esqueça a espontaneidade e aquelas fotos (inéditas) guardadas numa caixa de papelão no guarda-roupa. Tudo vai para o Facebook!

Na timeline, amizade vira amor. Paixão vira juras eternas. E pessoas que se conheceram ontem exigem um “eu te amo” público, jamais realizável. É que na timeline, para os outros, sempre os outros, fica melhor assim! É mais bonito, mais passional!

Se alguém amou um alguém que morreu, logo se vê uma mensagem para o tal no mural, mas agora que a pessoa está off de fato, é pouco provável que leia, não é? Pior, mais triste ainda se quem hoje escreve nunca disse cara a cara o que sentia.

Amor se vive no mundo real! Uma coisa é alguém compartilhar com amigos do peito lembranças de uma paixão incrível, outra coisa é encabeçar uma campanha do tipo ‘olha meu amor aqui’! 

Sou mais o Amor de Orkut, aquele brega, antigo, que todo mundo já teve um dia. Naquele tempo havia depoimentos sinceros porque você enviava mesmo sob pena da pessoa não aceitar! Saudades dos scraps que podiam ser guardados só pra você. Sem contar que curtir e compartilhar não se resumiam a apertar um botão. Amanhã, amar também será só apertar um botão.

Então, se você deseja barrar essa síndrome, copie e cole esse texto no seu mural da vida real. Dentro de algum tempo, você perceberá que tem por perto algo incrível, e saberá cuidar muito bem.

Anúncios