Tags

, , , ,

Na vida existem muitas situações inusitadas, alucinantes e inesquecíveis. E o pior é que as inesquecíveis são também as mais perturbadoras. Quem nunca se sentiu um peixinho fora d’água em eventos importantes para uns, mas que para você eram verdadeiros programas de índio? Ou quem nunca conseguiu se encaixar em nenhum dos grupos da escola? Ou quem nunca percebeu que dentro da própria família se sentia a pessoa mais diferente de todos?

Embora essas perguntas possam trazer uma conotação solitária e triste, para aqueles que acreditaram em si mesmos e seguiram em frente houve a possibilidade de desbravar o mundo e experimentar as diversas coisas contidas nele. Vejam o caso da Cinderela, por exemplo, ela encontrou seu príncipe encantado, saiu dos contos infantis, se tornou a Lady Di e depois a Kate Middleton. Ou para uma reles mortal, assim como eu ou você, receber uma mensagem do seu namorado ou marido dizendo: “Estou tão acostumado a estarmos juntos, que quando estou só, me sinto um peixinho fora d’água.” Isso é para massagear o ego de qualquer ser vivente!

Quando usamos essa expressão  seja em qualquer momento da vida, pode ser um sinal de que algo está mudando dentro de nós. Está nascendo um sentimento intenso de libertação da possível ideia de que a felicidade está nos outros. Não é fácil ser um peixinho fora d’água e assumir essa condição perante as pessoas, porém, quando acreditamos na nossa essência, descobrimos que aí está a real felicidade.

—–

Josana Bastos é publicitária. Cruzou o atlântico em busca de novas experiências. Hoje ela divide um pouco dos seus momentos aqui no Caras Legais Já Têm Namorada.

Anúncios