Tags

, , , ,

tumblr_m6su4d4H2r1qj55iro1_1280

Ele nunca vai dizer o que sente, prefere ficar à espreita como um predador, mas sua coragem é menor do que a de qualquer presa que pelo menos se predispõe a correr enquanto ele prefere nem se mexer.

A maioria cresceu aprendendo que não importa o que aconteça, sua virilidade nunca deveria ser ferida. Ferir pode! À vontade! Magoar, humilhar, colecionar conquistas e ouvir com orgulho de alguém: ‘lá vai o destruidor de corações’. Que mente sadia ficaria tranquila e feliz ao saber que destrói algo? Mas enfim, vamos em frente. O que não pode mesmo é um homem, com H de herói, se sentir menor.

Muitos deles preferem levar um tiro do que um fora. Um tiro é mais legal, rende resenhas a la filme de Quentin Tarantino, um fora rende resenhas a la filme de Richard Curtis, e Richard Curtis produz muito filme água com açúcar e isso para os homens não é legal.

Então chegar e dizer na lata o que sente, mesmo correndo o alto risco de levar um “não” está fora de questão. Melhor esperar, pedir pro amigo falar, pegar a amiga mais soltinha e saliente enquanto não chega a hora de se declarar ou se conter em fazer elogios ao sorriso dela na condição confortável de apenas amigos. E ainda dizem que é mulher que tem códigos e não consegue ser direta.

Esse tipo é clássico, você encontra em muitos lugares. Ele está lá com a turma de amigos machões, bebendo cerveja, falando alto, se cumprimentando com tapas nas costas e falando mal de “Marquinhos”, “João”, “Otávio” que deram mole, deram muita ousadia a aquela mulher, são cornos mansos, choram por tudo. Que bobagem! “Marquinhos”, “João” e “Otávio” é que são destemidos, bravos e heroicos. Sem armadura, eles atravessaram um lugar desconhecido e perigoso só pra falar: “eu te amo!”.

Anúncios